IX Congresso Catarinense de Obstetrícia e Ginecologia, IV Congresso Catarinense de Perinatologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

INDICE DE GRAVIDADE FISIOLOGICA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL: ESCORE SNAPPE II

Introdução

Os cuidados intensivos neonatais estão passando por avanços significativos em relação à sobrevivência e a redução da morbimortalidade entre os recém-nascidos internados nas unidades neonatais. O desenvolvimento de sistemas de pontuação de prognóstico é considerado um destes avanços uma vez que, auxiliam no processo para predizer a gravidade fisiológica neonatal.¹ Este estudo teve como objetivo verificar o escore SNAPPE II como preditor de mortalidade neonatal nos recém-nascidos admitidos na Unidade Neonatal de um hospital da região sul do Brasil.

Métodos

Realizou-se estudo de abordagem quantitativa de caráter retrospectivo e transversal no período entre abril de 2016 a abril de 2017. A coleta dos dados deu-se por meio da aplicação do escore SNAPPE II no prontuário de 139 recém-nascidos de uma maternidade da região sul do Brasil. A análise dos dados foi realizada através de tratamento estatístico descritivo e do teste Qui-Quadrado. O estudo respeitou os aspectos éticos e foi aprovado pelo comitê de ética sob o número de parecer: 2.042.899/2017 e CAEE: 66292317.7.0000.0109.

Resultados

Entre os participantes 55,4% eram do sexo masculino e o peso ao nascer foi >2000g em 54,0% dos recém-nascidos. Com relação à idade gestacional predominaram recém-nascidos pré-termo, sendo 47,5% entre 31 e 35 semanas. No que se refere à via de parto, em 77,7% dos casos o desfecho do parto foi por cesariana. Em relação aos dias de internação, 61,9% precisaram de 1 a 20 dias de assistência na Neonatal. Destes, 16 evoluíram a óbito. A taxa de mortalidade bruta da Unidade Neonatal foi de 11,5%. O escore total de SNAPEE II foi <40 pontos em 88,5% da população estudada. A análise da gravidade na admissão medida pelo escore SNAPPE II entre os recém-nascidos que morreram foi de >40 pontos (11,5%) em comparação aos que evoluíram para alta, que apresentaram uma pontuação <40 pontos (88,5%). Contudo, verificou-se associação significativa entre a evolução do recém-nascido, com o escore de SNAPPE II (P= <0,000).

Conclusões

O escore de SNAPPE II quando aplicado na Unidade Neonatal na admissão dos neonatos, pode predizer a gravidade e a mortalidade neonatal.

Área

Ginecologia e Obstetrícia

Autores

Lediana Dalla Costa, Elisana Pagnoncelli Schauss, Marcela Gonçalves Trevisan, Marli Terezinha Stein Backes, Pattrícia Rosa Damiani