IX Congresso Catarinense de Obstetrícia e Ginecologia, IV Congresso Catarinense de Perinatologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TUMOR KRUKENBERG MIMETIZANDO PATOLOGIAS HEPATICAS

Relato de Caso

Paciente, feminina, 46 anos, G4C2A2, tabagista 33 maço/ano, etilista pesada, buscou atendimento na emergência do Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago com quadro de dor e distensão abdominal. Há duas semanas iniciou com dor abdominal difusa com piora nos últimos cinco dias, associada à dor ventilatório dependente, dispneia e distensão abdominal. Ao exame físico, encontrava-se hipocorada (+2/+4), com presença de linfonodos de consistência fibroelástica, móveis e indolores à palpação nas cadeias cervicais anteriores, supraclaviculares e axilares. O abdômen estava ascítico, depressível, doloroso à palpação profunda de hipocôndrio direito e de fossa ilíaca esquerda, sem sinais de irritação peritoneal.
Evoluiu com edema em membros inferiores +2/+4 a nível de raiz de coxas. Devido ao histórico de etilismo, aventou-se, como primeira hipótese diagnóstica patologias hepáticas, como cirrose e hepatocarcinoma.
Ao exame de ultrassom transvaginal evidenciou-se massa ovariana bilateral classificação 5 de IOTA com critérios para malignidade. A tomografia abdominal apontou anexos de dimensões aumentadas, ascite moderada e raros linfonodos retroperitoneais proeminentes na cadeia para-aórtica. Foram realizadas 3 paracenteses de alívio com retirada de líquido ascítico (GASA 0,2 e envio para pesquisa de células neoplásicas). Os resultados de exames laboratoriais revelavam CEA 2,31; CA 19-9 7,33; CA 125 89,1, albumina 2,1. O Raio-X de tórax apontou derrame pleural bilateral. A Endoscopia Digestiva Alta demonstrou lesão ulcerada e infiltrativa gástrica, com biópsia sugerindo infiltração por adenocarcinoma pouco diferenciado com células em anel de sinete. Por fim, a imunohistoquímica apresentou citoqueratina POOL positivo nas células neoplásicas, confirmando o diagnóstico de tumor de Krukenberg.
O tumor de Krukenberg é uma neoplasia maligna metastática do ovário. Caracteriza-se pela presença de adenocarcinoma em anel de sinete rico em mucina. Aproximadamente 80% desses tumores são bilaterais, sendo originados, principalmente, de sítios gastrointestinais. O estômago, como local primário desse tumor, representa 70% dos casos.

Área

Ginecologia e Obstetrícia

Autores

Karen Kowalski Armanini, Marta Oliveira Nunes Hart, Emanuelly Martins da Silva , Margel Pivetta Cantarelli, Eimi Nascimento Pacheco, Maria Elizabeth Andrade Galeno Carvalho, Luciana Santos Pimentel, Clarisse Salete Fontana, Luciano Brasil Graziottin Rangel, Alberto Trapani Jr