IX Congresso Catarinense de Obstetrícia e Ginecologia, IV Congresso Catarinense de Perinatologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O IMPACTO DA IDADE MATERNA NOS RESULTADOS PERINATAIS

Introdução

Elevados índices de gravidez nos extremos da vida reprodutiva, antes dos 20 e após os 35 anos de idade, é uma realidade e constitui fonte de grandes pesquisas na comunidade científica. A gravidez na adolescência constitui um problema de saúde pública mundial, principalmente nos países subdesenvolvidos, pois relaciona-se com o aumento dos desfechos perinatais adversos. A partir do controle da taxa de natalidade, da intensa difusão dos métodos contraceptivos e da maior participação da mulher no mercado de trabalho, observa-se, no outro extremo de idade, um aumento significativo das gestações em mulheres com 35 anos ou mais. Desta forma, o objetivo geral deste trabalho será avaliar o impacto da idade materna nos resultados perinatais.

Métodos

Trata-se de um estudo transversal e retrospectivo, baseado na coleta de dados no Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos – SINASC, das pacientes atendidas no Município de Florianópolis, estado de Santa Catarina, entre o período de 1 de janeiro de 2016 a 31 de dezembro de 2017. A pesquisa atende aos princípios da ética, dispostos na Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde.

Resultados

Foram analisados 12.588 registros, sendo que as pacientes foram classificadas em três grandes grupos conforme a idade materna. Cerca de 1169 pacientes foram alocadas no Grupo I (< 20 anos), dentre estas jovens, cerca de 879 pacientes tiveram parto normal. No outro extremo, o Grupo III, composto por 2855 mulheres com mais de 34 anos, apresentou um alto índice de parto cesariano. Em relação à idade gestacional no momento do parto, os grupos formados pelas pacientes nos extremos de idade materna apresentaram índices superiores de parto pré-termo.

Conclusões

Observou-se relação entre idade materna avançada e aumento do número de parto cesariano. As pacientes mais jovens apresentaram taxa superior de parto normal. Diante deste novo cenário, torna-se imperativo estudar e relacionar os extremos de idade com os desfechos perinatais, sendo que os resultados serão de extrema utilidade para o aconselhamento das pacientes acerca das suas expectativas e dos riscos de repercussões adversas.

Área

Ginecologia e Obstetrícia

Autores

ISADORA GALABAROF TOTH, RICARDO MAIA SAMWAYS