IX Congresso Catarinense de Obstetrícia e Ginecologia, IV Congresso Catarinense de Perinatologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

FATORES DE RISCO MATERNO-FETAIS ASSOCIADOS A PREMATURIDADE TARDIA

Introdução

Os recém-nascidos (RN) com idade gestacional entre 34 semanas e 36 semanas e 6 dias são classificados como prematuros tardios. Este grupo apresenta maior risco de complicações precoces, como síndrome do desconforto respiratório, apneia, hipotermia, hipoglicemia, hiperbilirrubinemia, dificuldades alimentares e infecções, entre outros. A morbidade e o risco de hospitalização durante o primeiro ano de vida também são maiores em comparação com crianças nascidas a termo. O conhecimento dos fatores que levam ao nascimento de prematuros tardios pode fornecer subsídios para que profissionais e gestores da saúde atuem na sua prevenção. Conduziu-se um estudo com objetivo de determinar fatores maternos e fetais associados ao nascimento de RN prematuros tardios, quando comparados aos nascidos a termo.

Métodos

Estudo caso-controle em hospital terciário de referência para atendimento de gestações de alto risco. Foram considerados casos as puérperas e seus respectivos RN com idade gestacional maior ou igual a 34 semanas e menor de 37 semanas. Para os controles foram selecionadas as puérperas e seus RN com idade gestacional de 37 semanas completas ou mais. A amostra foi calculada com razão de dois controles para cada caso, resultando em um total de 423 pacientes. Estudos de associação foram efetuados utilizando-se o teste qui-quadrado ou teste exato de Fisher e posterior regressão logística.

Resultados

Ao ajustar para o efeito de confusão das covariáveis no modelo multivariado, as variáveis associadas à prematuridade tardia foram a realização de pré-natal inadequado [OR 1,23 (IC95% 1,12-1,34) p≤0,001], rotura prematura de membranas [OR 4,98 (IC95% 2,66-9,31) p≤0,001], tempo de internação ≥24 horas até o nascimento [OR 0,18 (IC95% 0,06-0,52) p≤0,001], parto operatório [OR 2,74 (IC95% 1,69-4,44) p≤0,001] e recém-nascido pequeno para a idade gestacional [OR 3,02 (IC95% 1,80-5,05) p 0,001].

Conclusões

Assistência pré-natal inadequada e rotura prematura de membranas destacaram-se como fatores associados ao nascimento de prematuros tardios. Ressalta-se a relevância da identificação de fatores passíveis de intervenção por meio de adequada assistência pré-natal, a fim de reduzir os desfechos desfavoráveis decorrentes da prematuridade tardia.

Área

Ginecologia e Obstetrícia

Instituições

Hospital Regional de São José Homero de Miranda Gomes - Santa Catarina - Brasil, Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL - Santa Catarina - Brasil

Autores

Luisa Krusser Vanin, Helen Zatti, Thaise Soncini, Rodrigo Dias Nunes, Louise Beni Staudt de Siqueira