IX Congresso Catarinense de Obstetrícia e Ginecologia, IV Congresso Catarinense de Perinatologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

GESTAÇAO EM IDADE MATERNA AVANÇADA – AVALIAÇAO DOS DESFECHOS MATERNO E FETAL

Introdução

A idade materna avançada é, por definição, a gestação após os 35 anos. Sua incidência tem aumentado no Brasil e no mundo em razão de mudanças socioeconômicas. Postergar o desejo de engravidar implica em importante diminuição da fertilidade, maiores chances de complicações gestacionais e resultados perinatais adversos.

Métodos

Estudo transversal, retrospectivo, descritivo e analítico realizado com gestantes com idade materna acima de 35 anos a fim de avaliar os fatores maternos e fetais associados à gestação em idade materna avançada no Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí/SC entre os anos de 2010 e 2017. Foram excluídas do estudo gestações gemelares. O procedimento de coleta de dados adotado foi obtido, retrospectivamente, através da análise de um questionário intitulado Ficha de Admissão do Recém-Nascido que contém informações sobre a gestação e o parto. As informações foram transcritas para o Banco de Dados criado no software EPIDATA 3.1, posteriormente exportadas para o software SPSS 16.0 e analisadas de forma descritiva e bivariada.

Resultados

Foram incluídas 2426 pacientes, 78,4% das gestantes tinham entre 35 e 39 anos e 21,6% acima de 40 anos. A prevalência entre 35 a 39 anos foi, respectivamente, 50,6% e 49,4% para parto cesárea e parto vaginal. Ao analisar as comorbidades maternas conclui-se que diabetes e hipertensão arterial se mostraram mais prevalentes. Quanto às variáveis idade gestacional, valor de APGAR, peso ao nascer e via e parto não houve associação significativa com idade materna avançada.

Conclusões

Observou-se, neste estudo, que a despeito dos desfechos fetais, em mães com mais de 40 anos, deve-se dar atenção ao peso fetal ao nascimento e prematuridade. Uma parcela importante dos recém-nascidos apresentou peso baixo ao nascer e percebeu-se uma prevalência de partos pré-termos o que está diretamente relacionado a morbimortalidade infantil. Em relação à via de parto prevaleceram maiores as taxas de cesáreas. A gestação nesta faixa etária cursa com importantes complicações e a prioridade no atendimento em conjunto com a qualidade na assistência pré-natal são importantes para minimizar e prevenir resultados adversos.

Área

Ginecologia e Obstetrícia

Instituições

Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen - Santa Catarina - Brasil

Autores

RAFAELA RABELLO REIS, Natalia Roberta Andrade Dalla Costa