IX Congresso Catarinense de Obstetrícia e Ginecologia, IV Congresso Catarinense de Perinatologia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Os efeitos socioeconômicos no tratamento da sífilis gestacional

Introdução

O tema escolhido para o estudo foi “Os efeitos socioeconômicos no tratamento da sífilis gestacional”. A sífilis gestacional é uma infecção sexualmente transmissível (IST) facilmente controlada com tratamento precoce. No entanto, essa patologia, por ser uma doença de fácil controle já deveria ter sido erradicada. Todavia, na última década o índice de contração tem aumentado de forma significativa colocando em risco tanto mães como recém nascidos. Assim, buscamos descobrir se fatores como a indisponibilidade de consultas médicas, a inacessibilidade a medicamentos e a falta de instrução sejam fatores que afetam o início ou a continuidade do tratamento. Foi feito, então, uma revisão sistemática com o objetivo de reunir estudos semelhantes.

Métodos

Foram pesquisados artigos científicos disponíveis em bibliotecas eletrônicas de periódicos Scielo, Bireme, Google Acadêmico e PubMed, em inglês e português.

Resultados

As principais classes sociais acometidas por ISTs são de classes marginalizadas e/ou minorias. O que mostra que a falta de informação ainda é um fator prejudicial relevante. Porém, os fatores mais relatados são o gênero e a escolaridade.³ Dessa forma, baixas escolaridades demonstram uma concentração maior de ocorrência de casos de ISTs enquanto que o gênero masculino possui os maiores índices nessa categoria. Além disso, outro aspecto é o da faixa etária que pode ser explicado devido a vulnerabilidade dessa população, principalmente por ser uma fase de imaturidade etária, emocional e cognitiva, além de ser um período de descobertas e de grande influências dos grupos sociais. Da mesma forma, há limitada adesão ao tratamento com associação em grande parte a fatores socioeconômicos. Uma vez que pesquisas demonstram que desigualdades socioeconômicas de saúde são grandes e persistentes mesmo com melhorias na sociedade e nos serviços de saúde.

Conclusões

Afirma-se, portanto, a importância do diagnóstico precoce e do tratamento adequado para pacientes com sífilis, em especial gestantes devido às consequências dessa. Conclui-se ainda, que a adesão ao tratamento está bastante associada aos fatores socioeconômicos, tendo em vista que esse está muitas vezes relacionado com a baixa escolaridade e um menor acesso a informações. Portanto, é nítida a necessidade dos cuidados com a saúde e às medidas de prevenção da infecção.

Área

Ginecologia e Obstetrícia

Autores

Amanda Locks, Luisa Carvalho Garcia, Rômulo Barzotto, Júlia Cassol